quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Um pouco mais sobre ilustração...



                                             “[...] a ilustração é uma das linguagens não verbais mais recorrentes na obra literária infantil [...]” (FILHO, pg.53) 

A ilustração adquire grande importância ao longo do tempo e hoje ganha, segundo alguns autores, o status de gênero literário. E os livros ilustrados, como já fora mencionado anteriormente se faz presente em obras literárias para atender ao público infanto-juvenil e consequentemente encanta os adultos, que muitas vezes são mediadores destas obras e assim dá solução a questão do duplo destinatário, ou seja, sempre que há uma criança lendo existe um adulto lendo (mesmo que não diretamente, onde o mesmo selecionou aquela leitura). Elucidamos que ao falarmos que encanta o adulto já que as imagens estão se aperfeiçoando, despertando o interesse culto do adulto-leitor, onde o livro infantil está virando uma galeria de arte no papel.
Estas imagens produzem significado, para tanto, muitas vezes para entender a história deve-se as compreender e interpreta-las. 



Um exemplo disto, os quadrinhos (inter-relação entre textos e imagens), que na verdade não são classificados como livros ilustrados, mas elucidam esta explicação e reafirma a afirmação anterior, onde pode despertar o interesse da criança quanto do adulto. 
Mas, voltando para o público infantil, segundo FILHO (2009), fazendo uma adaptação da obra de Luiz Camargo, classifica as ilustrações nas obras literárias em:
Pontual: Que tem como função destacar o início e o fim do texto, como nos contos de fadas e suas letras capitulares.
Descritiva: Onde esta imagem promove o papel de construção de significados semelhantes ao texto escrito, como meio descritivo ela consegue assim, descrever objetos ou personagens que muitas vezes sem este auxilia não seriam visualizados.
Narrativa: Esta imagem exerce a função e narrar uma ação ou cena, recurso muito utilizado por livros que apenas possuem ilustrações, onde a ausência de texto não implica na ausência de discurso.
Simbólica: Passa uma ideia metafórica, onde para ser reconhecida deve existir uma visão mais apurada do receptor.
Imersiva: Traz consigo uma hipertextualidade, ou seja, leva o leitor a determinados caminhos de interpretação, mas deixa algumas vias alternativas a escolha do receptor.
Dialógica: Promove um diálogo emocional com o leitor, despertando emoções através da postura, expressão ou gesto do personagem que a mesma retrata.
Estética: Desperta o interesse no modo como a ilustração fora elaborada, como a técnica que o ilustrador utilizou.
Lúdica: Esta ilustração se transforma em um jogo par ao leitor do texto.
Tradutora: Ajuda a entender a mensagem que o texto verbal quer passar, incentivando o receptor e ampliando a possibilidade de interpretação da obra.
Outros detalhes que podem ser observados nos livros infantis são as unidades de folego, ou seja, as falar são o tempo de uma respiração, curtas e concisas para auxiliar na interpretação e entendimento do texto. Também pode conter o drama da virada de página, onde o leitor fica ansioso para saber o resto da história.
Que tal ler um livro agora e prestar mais atenção na ilustração, boa leitura :)

Imagens disponíveis em:

Referência Bibliográfica: FILHO, José Nicolau Gregorin. Literatura Infantil - multiplas linguagens na formação de leitores. Editora melhoramentos: São Paulo, 2009.