terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Bienal Internacional do Livro de Alagoas - Vivências






ÊÊÊÊ galera ligada, a Bienal do livro acabou, e deixou saudades e algumas reflexões. Antes de tudo vamos se ligar nas positividades.

Promovida pela Editora da Universidade Federal de Alagoas EDUFAL, a Bienal Alagoana esse ano trouxe vários escritores, dentre os mais conhecidos podemos citar: Bruna Vieira, Clarice Freire, Tatita Rebolças, Elisa Lucinda, Paula Pimenta, Zeca Baleiro, Gabriel o Pensador, Fernanda Takai...
Durante a Bienal aqui em Alagoas acontecem várias apresentações simultâneas, tanto de grupos de teatro, musica, dança, quanto das atividades dos congressos que acontecem paralelos ao maior evento cultural do Estado, a Bienal do Livro.

Pensando Sobre a Bienal... 

Infelizmente, embora a Bienal seja um ambiente lindo pra leitura e extensão do conhecimento, ainda acredito que seu objetivo não se deu por completo em mais um ano, em todoo aquele espaço enorme do Centro Cultural de Exposições Ruth Cardoso tinha raros espaços para leitura gratuita e agradável, o que percebi foi as garras do mercado e a corrida pelas vendas tomando conta da nossa literatura linda mais um vez. Nossa isso é de se entristecer muito, pouquíssimas foram as oportunidades de contato com a literatura de livre e sem custos, mas os poucos nós aproveitamos ao máximo hahaha.
Precisamos realmente pensar sobre isso, será que nossa bienal é realmente um espaço para disseminação de cultura literária para o povo, ou apenas um mercado enorme de venda de livros para quem já tem acesso a livro?
Apesar dos pesares é possível sim dizer que o ambiente da Bienal do Livro proporciona (pelo menos para mim) um contato maior com o mundo literário, com pessoas que leem, com os autores, há aquela boa e velha troca de conhecimentos, além dos ambientes que nos deixam bem a vontade, não é sempre que se tem uma biblioteca (ou livraria, se problematizarmos o parágrafo a cima) gigante a nossa disposição.

Um dos raros locais pra leitura livre de crianças organizado pela secretaria de cultura do Estado.

Bjos de Liberdade, e se liguem!